Data comemorativa é importante para lembrança do ato, mas a necessidade é diária; bolsas de sangue são suficientes apenas para uma semana e plaquetas estão zeradas Foto: Omar Matsumoto/PMSBC
Data comemorativa é importante para lembrança do ato, mas a necessidade é diária; bolsas de sangue são suficientes apenas para uma semana e plaquetas estão zeradas Foto: Omar Matsumoto/PMSBC

No Dia Internacional da Doação de Sangue, a Prefeitura de São Bernardo alerta para estoque baixo do Colsan, com sede regional na cidade. De acordo com a Associação, a data comemorativa (25/11) reforça a importância do ato e aumenta o número de doações, mas a necessidade por sangue é diária para tratamentos de doenças onco-hematológicas, cirurgias, entre outras.

Todos os tipos sanguíneos estão com suas reservas abaixo da quantidade ideal. “A pandemia afastou ainda mais as pessoas das unidades de doação, em cerca de 30%”. Esta foi a análise do diretor médico regional do Colsan, Dr. Toebaldo A. de Carvalho.

“Estamos trabalhando com estoque máximo de uma semana. As plaquetas estão zeradas. O volume diário é menor do que a nossa demanda. Isso é muito preocupante porque não há nenhuma outra substância que possa substituir o sangue em um momento de necessidade. Por isso a importância da doação e de ser um ato constante. Não apenas na data comemorativa”, declarou Dr. Toebaldo.

Sandra Bolzan faz a sua primeira doação. Foto: Omar Matsumoto/PMSBC
Sandra Bolzan faz a sua primeira doação. Foto: Omar Matsumoto/PMSBC

PRIMEIRA DOAÇÃO – A supervisora de atendimento, Sandra Bolzan, 41 anos, ficou sensibilizada com a campanha da empresa em que trabalha e aproveitou a data para fazer sua primeira doação de sangue, como um gesto de solidariedade, tão fundamental neste momento.

“Sempre quis doar, mas tomava um remédio que não permitia a doação. Quando terminei a medicação, fui liberada e coincidiu com a ação no trabalho, não pensei duas vezes. Hoje, estou entendendo exatamente a sensação de um ato de amor ao próximo, e espero que a pandemia tenha sensibilizado as pessoas, de que precisamos uns dos outros e que mais gente venha doar”, relatou a doadora.

QUEM PODE DOAR – Todo doador passa por uma triagem, com realização de alguns exames e entrevista, para uma doação segura. Além disso, a pessoa precisa ter entre 16 e 69 anos (sendo que a partir dos 60, o doador já deve ter feito uma doação antes desta idade), pesar mais de 50kg, estar em boas condições de saúde e estar alimentado. Os homens podem doar até 4 vezes no prazo de um ano e as mulheres até 3 vezes, no mesmo período.

VALIDADE DA DOAÇÃO – Ter doadores regulares e todos os dias nas unidades do Colsan é fundamental devido ao prazo de validade do sangue. As plaquetas duram no máximo 5 dias, as hemácias duram em média 35 dias e o plasma é o fluido que tem maior validade de aproximadamente um ano, se bem conservado.

“O ideal é que tivéssemos todos os dias em média 150 doadores, para que os estoques se normalizassem. Hoje esse número é de 60 pessoas. E ainda temos o agravante da pandemia e das festas de final de ano, que diminuem ainda mais este fluxo de pessoas”, completou o médico diretor da Associação.

SERVIÇO – Demais informações como localização das unidades, os dias e os horários de funcionamento podem ser acessadas pelo site da Associação: www.colsan.org.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui